O que é alimentação inclusiva e os cuidados com alimentação de crianças

Sabia que seu bebê pode ter alguma alergia ou intolerância que você nem imagina?

A alimentação inclusiva se trata de uma dieta que, além de ser saudável e constituída em sua maioria por produtos naturais, pode ser consumida por todas as pessoas com algum tipo de restrição de alimentos. Assim, inclui veganos, vegetarianos, intolerantes a lactose, a glúten, a açúcar e alérgicos a frutos-do-mar, ovos e demais restrições.

Dessa forma, além de garantir que seu filho tenha uma alimentação saudável e balanceada, você saberá o que ele está ingerindo uma comida segura.

Neste texto você vai entender a diferença entre intolerância e alergias, os tipos mais comuns de alergia, além de como inserir uma dieta inclusiva na alimentação do seu pequeno. Boa leitura!

Alergia VS Intolerância:

A alergia ocorre quando o sistema imunológico ataca de forma desproporcional o alimento ingerido ou algum de seus componentes. Os sintomas mais comuns de alergias são irritações na pele, nos olhos e inchaço da garganta, o que a torna muito perigosa.

Já a intolerância acontece quando o organismo não produz ou produz em pouca quantidade a enzima capaz de processar aquele alimento. Devido a isso, quem tem intolerância não consegue digerir bem o alimento, causando reações gastrointestinais. Os sintomas mais comuns de intolerância são: vômito, náuseas, dores abdominais e gases.

A alergia é uma condição mais rara, enquanto a intolerância pode ser apresentada por qualquer organismo.

Tipos de restrições alimentares mais comuns:

1 – Glúten

A intolerância a glúten pode acontecer como as demais intolerâncias ou devido a uma doença chamada “doença celíaca”. Quando além de o organismo não conseguir digerir o alimento, o sistema imunológico ataca o organismo devido ao acúmulo de glúten. Dentre os sintomas desta doença está a anemia, alterações de humor e cansaço.

Por conta disso, é obrigatório por Lei (n° 10.674/2003) que todos os alimentos industrializados tragam em sua embalagem o rótulo “Contém Glúten” ou “Não contém Glúten” como forma de prevenção do agravamento da doença celíaca.

O Glúten é uma proteína facilmente encontrada em alimentos como: aveia, trigo, centeio e seus derivados.

2 – Lactose

Intolerância a lactose talvez seja o tipo de intolerância mais conhecida. De acordo com o portal G1, a intolerância à lactose atinge até 70% dos adultos brasileiros.

Por conta disso, a ANVISA estabeleceu em 2017 que, assim como o Glúten, todos os produtos industrializados precisam conter um aviso comunicando a presença ou ausência da proteína.

Essa restrição pode ser desenvolvida no decorrer da vida sem causa aparente. Além da intolerância, existe também a alergia a lactose, que se trata de um caso mais grave, porém mais raro.

3 – Frutos do Mar

A alergia a frutos-do-mar é dividida em três grupos: alergia a moluscos (lula, polvo e ostras), a crustáceos (camarão, lagosta, lagostim e caranguejo) e aos peixes, em  geral.

Também é comum que a pessoa apresente alergia aos conservantes adicionados a estes alimentos quando congelados, como é o caso do metabissulfito de sódio. Quando isso acontece, a pessoa consegue comer frutos-do-mar frescos, mas não congelados.

4 – Açúcar:

A restrição alimentar ao açúcar ocorre por conta do diabetes ou pré-diabetes. A diabetes tipo 1 é descoberta na infância e ocorre quando o pâncreas não produz insulina. Neste tipo, o tratamento do problema acontece com a aplicação do hormônio.

Já a diabetes tipo 2 é desenvolvida ao longo da vida devido ao alto consumo de açúcar, fazendo com que o corpo se torne resistente à insulina. O tratamento deste tipo de diabetes acontece com o consumo de produtos light e a substituição de açúcar por adoçante ou mel.

5 – Ovos

A alergia a ovos, na verdade, é uma alergia à albumina, presente na clara do ovo. No entanto, como não é possível separar totalmente a gema do ovo, o indicado é que alérgicos a albumina não consumam nenhuma parte do ovo e tenha muito cuidado ao consumir derivados.

Como identificar restrições alimentares no seu bebê?

Agora que você já entende a diferença entre alergia e intolerância, sabe também que os tipos mais comuns são derivados de leite, ovos e frutos-do-mar. 

No entanto, como identificar algum tipo de restrição alimentar em bebês, que não conseguem se comunicar ainda?

Primeiro de tudo, é importante saber exatamente todos os componentes da alimentação do seu filho e ficar atento. 

Caso surjam manchas e irritações na pele, coceira e olhos inflamados é o momento de você estudar a dieta do seu bebê e analisar quais alimentos fazem esses sintomas aparecerem.

Por estes motivos, o ideal é que sua criança consuma alimentos saudáveis e livres de conservantes, assim como a alimentação inclusiva. 

Mesmo que seu filho não tenha nenhuma restrição, a alimentação inclusiva é muito mais saudável e nutritiva e ainda previne alergias e intolerâncias que possam ser desenvolvidas no decorrer da vida.

Pessoas mais velhas costumam dizer que em sua época as crianças não tinham tantas alergias como hoje, e é verdade. Isso se dá devido à industrialização dos alimentos e seus conservantes. Antigamente a alimentação era muito mais saudável, pois grande parte dos alimentos eram orgânicos.

Passo a Passo para adotar uma dieta alimentar inclusiva

1 – Comece aos poucos:

O primeiro passo é identificar qual tipo de restrição alimentar seu filho possui, para construir uma dieta que exclua totalmente componentes que podem trazer qualquer prejuízo para a saúde do seu bebê.

Se este não for o caso e você estiver apenas procurando uma dieta saudável pode começar aos poucos:

  • Dê prioridade a alimento integrais
  • Evite os doces
  • Troque industrializados por naturais
  • Abra mão de refrigerantes e invista em sucos naturais
  • Inclua os vegetais
  • Frutas também são sobremesas
  • Troque açúcar refinado pelo mascavo, caso use o açúcar

Claro que com a correria do dia-a-dia e as inúmeras demandas da vida adulta, é impossível parar para se dedicar integralmente à alimentação do seu filho. 

É para isso que a Papá existe, com nossas comidinhas para crianças e bebês você pode ir trabalhar despreocupado sabendo que seu filho está se alimento com uma refeição balanceada, saudável e livre de conservantes!

E o melhor de tudo: você não vai precisar cozinhar, pois já vem tudo pronto! Assim, você pode ter esse momento de conexão com o seu filho, sem se estressar ou se preocupar com a preparação.

Aproveite e visite nosso site para conferir nosso cardápio. Tudo é muito bem receitado por nutricionistas especializados, além disso, usamos a tecnologia de ultracongelamento!

Mantemos a cor, textura e sabor dos alimentos. Clique e confira nosso cardápio.