Introdução alimentar: tudo que você precisa saber

Você sabia que toda a educação e referências que a criança recebe até os 5 anos vai servir de base por toda a vida? E isso também inclui a alimentação.

Criança que come bem, cresce saudável! 

Sim! É através dos alimentos que ela garante energia para poder brincar, estudar e conversar. Portanto, quanto melhor a alimentação do pequeno, melhor será seu desempenho pedagógico e sua aptidão para o aprendizado e desenvolvimento físico. Dessa forma, a alimentação ideal promove força para a criança, mas também uma boa formação óssea, além de coordenação motora e uma boa cognição.

Neste texto vamos explicar como acontece a introdução alimentar na prática, assim como a dinâmica da pirâmide alimentar e os riscos que uma má alimentação pode trazer à saúde das crianças. Boa leitura!

O que é introdução alimentar

Ela é uma importante fase do desenvolvimento das crianças. Até os seis meses, a Sociedade Brasileira de Pediatria indica que o bebê seja alimentado apenas com leite materno ou fórmula, pois possuem todos os nutrientes necessários. No entanto, após os seis meses chega a hora de começar a conhecer e explorar outros alimentos. 

A criança começa então uma experiência com a comida, exercitando o tato, olfato, paladar e até a audição. Porém, não se trata apenas disso. Nesses momentos reservados a observar e experimentar, a criança também desenvolve a força, coordenação motora e aprende mais sobre o mundo, com as cores e texturas e também forma a identidade do seu paladar. 

O aprendizado dessa fase traz experiências que serão importantes para o resto da vida, incluindo a relação com a comida. 

Obesidade Infantil

Também precisamos falar disso. Há muito tempo a obesidade infantil não é apenas um problema estético que causa constrangimento e discriminação, além disso, é também um problema que traz sérios prejuízos a saúde.

Cerca de 15% das crianças e 8% dos adolescentes estão obesos e sofrem consequências e outros 8 em cada 10 adolescentes continuam obesos na fase adulta.

A grande questão é que as crianças têm facilidade para ganhar peso e isso nem sempre está associado a ingestão de muita comida e sim a alimentação rica em gordura, açúcar e frituras.

Por isso é tão importante disciplinar seu filho com uma alimentação saudável desde cedo. Confira alguns fatores que podem lhe ajudar nesta missão:

A importância da alimentação saudável na primeira infância

Os benefícios da amamentação são muitos: reduz em 13% os riscos de mortalidade infantil, aumenta a imunidade, ajuda no desenvolvimento da cavidade bucal e muito mais. Já para a mamãe, o leite materno fortalece o vínculo entre mãe e filho, protege contra o câncer de mama, reduz a ansiedade e ajuda na perda de peso pós-parto.

No entanto, com a chegada do sexto mês de vida, a criança necessita de alimentos mais complexos para seu desenvolvimento. Neste momento, é a hora de introduzir outros alimentos em simultâneo com a amamentação continue, se possível, até os 2 anos.

Além de suprir a necessidade nutricional, os primeiros contatos com os alimentos também estimulam os sentidos, como visão, olfato, paladar e tato, além de reforçar a imunidade da criança. 

Bebês nesta idade, precisam sentir o sabor, ver a cor e tocar a textura para conseguir estabelecer uma relação com a comida. Com o passar do tempo, este primeiro contato será importantíssimo para a criança já grandinha comer corretamente, mastigando da forma correta, na hora certa e respeitando o alimento.

Entendendo a Pirâmide Alimentar

Se você está começando a introduzir uma dieta saudável na alimentação do seu filho, a pirâmide alimentar é um bom guia para iniciantes.

Ela funciona como um norte para você entender quais tipos de alimentos deve comer com mais ou menos frequência no seu dia. Cada país possui sua própria pirâmide alimentar de acordo com sua cultura e perfil de população.

A dinâmica funciona assim: ela é dividida em 4 níveis e quanto mais próximo da base, mais essencial aquele alimento é, assim como quanto mais distante, mais é preciso evitar.

Confira:

Nível 1(Base): Grupos dos cereais, tubérculos e raízes

Nível 2: Grupos das frutas e verduras

Nível 3: Leite e seus derivados, carnes, ovos e leguminosas

Nível 4: Gorduras, doces, frituras e industrializados

Como inserir alimentação saudável na dieta do seu filho:

1 – Rotina alimentar:

Toda criança necessita de 3 refeições e 2 lanches por dia, não abra mão de nenhuma delas e procure alimentar seu filho sempre no mesmo horário.

Além disso, motive-o a comer devagar e mastigar bem os alimentos para trabalhar a relação do pequeno com o alimento e ajudar na sensação de saciedade.

2 – Frutas e verduras

Essa conversa de que criança não gosta de fruta e verdura é um mito! Tudo é uma questão de hábito. Assim, se você acostumar seu filho desde cedo com alimentação saudável, ele vai crescer com disciplina em relação a alimentos açucarados e gordurosos.

Um bom exercício para isso é trocar a sobremesa por uma fruta.

3 – Arroz, Feijão e Vitamina C

A anemia é uma das doenças que mais acomete crianças no Brasil. Para evitar este problema não abra mão do arroz com feijão no prato do seu filho. Aposte também em Vitamina C, como sucos de acerola e laranja, pois, a Vitamina C fortalece o sistema imunológico e possui ação antioxidante.

4 – Carne, leite e derivados

O leite é uma das principais fontes de cálcio, por isso é tão importante para quem está em fase de crescimento, pois fortalece os ossos, dentes e músculos. Caso seu bebê ainda esteja sendo amamentado, não é preciso inserir outros tipos de leite na dieta.

Carnes e proteínas também são muito importantes para o fortalecimento da sua criança, pois tem zinco, ferro e vitaminas do complexo B.

5 – Açúcar, sal e gordura:

É importante também que os pais não ofereçam doces, gorduras trans nem enlatados para a criança até os 2 anos de idade. 

Alimentos naturais e não processados fazem toda a diferença na qualidade alimentar de qualquer pessoa, mas principalmente na primeira infância.

Além disso, o alto consumo de açúcar, sal e frituras pode desencadear doenças como: diabetes, cáries, obesidade e hipertensão. 

Uma dica importante é evitar uso de temperos prontos, pois no geral eles contêm muito sal. Dê preferência a temperos naturais como alho, cebola e ervas.

Precisa de uma refeição saudável, balanceada e inclusiva para seu pequeno? Então pode contar com a Papá! Nossas comidinhas são feitas com muito carinho e planejadas por nutricionistas especializados em crianças.

É mais praticidade para você, que não precisa cozinhar, mas ainda pode se dedicar na importante conexão que acontece com a experimentação da comida do seu pequeno.

Visite nosso site e confira nosso cardápio!